Caixas INPA

Caixas INPA foram desenvolvidas para a otimização de Divisão de enxames e Coleta de Mel. Veja as medidas para fazer caixas INPA para cada espécie de abelha sem ferrão.

Caixas INPA foram aperfeiçoadas pelo pesquisador Fernando Oliveira quando trabalhou no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Ele batizou as caixas INPA com a sigla do instituto. O aperfeiçoamento foi desenvolvido com o objetivo de facilitar o trabalho dos meliponicultores, otimizando a divisão de enxames e facilitando a coleta de mel.

As caixas INPA são formadas por três módulos básicos: Ninho, Sobreninho e Melgueira. O tamanho dos módulos e a quantidade de melgueira vão depender de cada espécie de abelhas sem ferrão que serão criadas nestas caixas INPA.

Caixas INPA com dimensões maiores devem ser construídas para espécies de favos de cria maiores. Enquanto caixas  INPA menores devem ser confeccionadas para espécies de ninhos menores.

O dimensionamento ideal da largura da caixa deve levar em conta o diâmetro máximo dos favos de cria que determinada espécie é capaz de construir.

Uma regra boa é fazer a caixa 2 ou 3 centímetros maior que o diâmetro máximo dos favos de cria.

Por exemplo: se o maior favo de cria que um meliponicultor encontrou, possui 18cm, como por exemplo os discos de cria de uma Abelha Uruçu, ele deve construir a caixa com dimensões horizontais internas de 20cm(C) x 20cm(L).

Modelo de Caixas INPA para Abelhas sem Ferrão
Modelo de Caixas INPA para Abelhas sem Ferrão
Modelo da disposição geral de uma caixa INPA
Modelo da disposição geral de uma caixa INPA
Colônia de uruçu-nordestina instalada em uma caixa INPA
Colônia de uruçu-nordestina instalada em uma caixa INPA

Modelo de Caixas INPA – Medidas

Medidas de Caixa INPA para Mandaçaia MQA, Tiubá, Jupará, Jandaíra, Guaraipo: 15cm(C) x 15cm(L) x 7,5cm(A)

Medidas de Caixas INPA para Abelhas sem Ferrão
Medidas de Caixas INPA para Abelhas sem Ferrão

Medidas de Caixa INPA para Mandaçaia MQQ, Uruçu, Uruçu Nordestina, Uruçu Boca de Renda, Uruçu Amarela, Bugia, Tubuna, Mandaguari, Tubi, Canudo, Borá, Mombucão:

Medidas internas de ninho, sobre ninho e melgueiras – 20cm(C) x 20cm(L) x 8cm(A).

Medidas de Caixa INPA para Jataí e Iraí:

Medidas internas de ninho, sobre ninho e melgueiras – 12cm(C) x 12cm(L) x 5cm(A).

Medidas de Caixa INPA para Manduri, Mirim Guaçu, Mirim Droryana, Mirim Preguiça, Lambe Olhos:

Medidas internas de ninho, sobre ninho e melgueiras – 10cm(C) x 10cm(L) x 5cm(A).

Módulo Ninho – Modelos de Caixas INPA

Nota-se que o módulo de ninho contém um orifício circular de entrada, geralmente com 2 cm de diâmetro.

O tamanho relativamente maior do que se costuma encontrar em colônias naturais é proposital, já que possibilita às abelhas moldarem sua entrada, com geoprópolis ou cerume, do tamanho que lhes convém.

Orifícios muito pequenos restringem a passagem das abelhas, considerando que as mesmas não são capazes de perfurar a madeira.

A vulnerabilidade a pragas proporcionada pelo tamanho grande do orifício nos momentos que sucedem uma captura, transferência ou divisão podem ser minimizada com a redução deste espaço com cerume.

Gradativamente, as abelhas substituem o cerume disponibilizado pelo meliponicultor pelo material de sua preferência.

Módulo de sobreninho – Modelos de Caixas INPA

Observa-se que o módulo de sobreninho, possui quatro cantoneiras triangulares em sua parte inferior, formando uma passagem em forma de losango.

Esse sistema é o grande responsável pela eficiência dessa caixa para o processo de divisão de colônias.

Dependendo do nível de desenvolvimento das colônias, mais que um módulo de divisão pode ser utilizado para abrigar o ninho.

A Melgueira – Modelos de Caixas INPA

Por sua vez, possui um assoalho de madeira fina (0,5 a 1 cm) ou de acetato que limita o crescimento vertical do ninho, com duas frestas nas laterais, as quais permitem o acesso das abelhas ao espaço reservado para o acúmulo de alimento.

De acordo com o potencial produtivo da espécie criada, várias melgueiras podem ser utilizadas concomitantemente nas caixas INPA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *