Aquisição de Colônias

Aquisição de Colônias é feita através da compra de colônias de meliponicultores autorizados ou pela captura de enxames na natureza por ninhos iscas.

Aquisição de Colônias

De acordo com a Resolução CONAMA no 346/2004:

“(…) Art 3o
– É permitida a utilização e o comércio de abelhas e seus produtos, procedentes dos criadouros autorizados pelo órgão ambiental competente, na forma de meliponários, bem como a captura de colônias e espécimes a eles destinados por meio da utilização de ninhos-isca.

Art. 4o
– Será permitida a comercialização de colônias ou parte delas desde que sejam resultado de métodos de multiplicação artificial ou de captura por meio da utilização de ninhos-isca. (…)”.

O que é importante reter da legislação brasileira é que não é permitida a captura de ninhos em habitat natural. A pessoa que deseja iniciar a meliponicultura precisa recorrer a meliponários autorizados, onde poderá comprar colônias.

A outra alternativa é a boa vontade de um enxame de abelhas ocupar um sítio de nidificação estrategicamente disponibilizado pelo meliponicultor.

Feita essa ressalva, passamos para as técnicas que vão orientá-lo a começar o trabalho de criar e manejar abelhas sem ferrão, explicando dois conceitos a que a lei faz referência: os ninhos-isca e a multiplicação artificial.

Ninhos-isca (ou Ninhos-armadilha)

Chamamos de ninhos-isca os recipientes, caixas, colmeias ou objetos deixados na natureza com a finalidade específica de capturar uma colônia de abelhas.

Esta é uma estratégia de aquisição de colônias que se aproveita do processo natural de enxameagem das abelhas e pode ser facilmente empregada por qualquer meliponicultor, otimista com a possibilidade de que o seu ninho-isca seja o escolhido!

Existem diversos modelos de ninhos-isca concebidos para otimizar as possibilidades de capturar um enxame. As próprias caixas de madeira onde se pretende deixar definitivamente uma colônia podem ser usadas com essa finalidade.

Considerando que no processo de enxameagem os locais previamente ocupados por outras colônias têm a preferência das abelhas, o que traz bons resultados é fazer os ninhos-isca se parecerem com cavidades já ocupadas.

Impregnar as iscas com cerume ou própolis é o método mais eficiente. Pesquisadores da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto desenvolveram um simples e eficiente modelo de ninho-isca, construído com garrafas plásticas.

Utilizam preferencialmente garrafas pretas, mas as do tipo PET também funcionam, desde que cobertas com algum material que impossibilite a entrada de luz no interior do recipiente, com lonas ou plásticos escuros.

Diferentes tamanhos de ninhos-isca podem ser deixados na natureza para a captura de espécies diferentes.

A partir do momento em que se obtém a primeira colônia de determinada espécie, seja por meio da compra, seja por captura com ninho-isca, o aumento do número de colônias no meliponário depende basicamente da multiplicação artificial das mesmas.

fonte: Manual Tecnológico Mel de Abelhas sem Ferrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *