Divisão de Colmeias de Abelhas Nativas

Divisão de Colmeias de Abelhas Nativas – Métodos de divisão de colmeias para multiplicações de enxames com sucesso. Método de perturbação mínima e doação de favos.

Divisão de colmeias de Abelhas Nativas – A divisão de colmeias tem como objetivo gerar uma nova colmeia a partir de uma colmeia forte.

De maneira geral o processo de divisão de colmeias de abelhas nativas consiste em dividir os elementos de uma colmeia forte. As abelhas, os discos de cria e os potes de alimentos divididos entre duas caixas. Sendo uma delas a colmeia forte doadora, chamada de colmeia mãe ou colmeia matriz. E a outra nova colmeia que vai receber os elementos, assim chamada de colmeia filha ou colmeia divisão.

A divisão de colmeias de abelhas nativas ajudam na conservação das espécies de abelhas nativas. Assim expandindo a quantidade de colmeias espalhadas por todo território brasileiro. Este processo também ajuda na recuperação de ambientes degradados além de ser uma alternativa econômica para o meliponicultor.

A seguir, serão apresentados alguns métodos de divisão de colmeias de abelhas nativas, levando-se em conta as diferenças básicas entre os grupos de gêneros Meliponas e Trigoniformes.


Faça parte do nosso Grupo do Facebook, Acesse o Link:


LEIA TAMBÉM NOSSOS ARTIGOS SOBRE:


Método da doação de favos – Divisão de Colmeias de Abelhas Nativas

Trata-se do método mais tradicional, empregado de forma semelhante pela meliponicultura tradicional em diversas regiões do Brasil.

Neste método, a “colmeia mãe” cede de dois a quatro favos de cria madura, aquela de coloração mais clara amarelada, para o povoamento de uma caixa nova, ou “colmeia filha”.

A cria madura contém abelhas prestes a nascer e, portanto, proporciona o estabelecimento mais acelerado do trabalho das operárias na caixa nova.

Diferenças entre Meliponas e Trigoniformes

A principal diferença entre as abelhas Meliponas e Trigoniformes é no nascimento de princesas. Portanto as abelhas nativas do gênero Meliponas geram princesas virgens que se tornarão futuras rainhas por proporção genética.  Ou seja, cerca de 25% das abelhas que nascerem no disco de cria serão princesas virgens. Assim as células de crias de princesa, operárias e zangões são do mesmo tamanho. Portanto para realizar a divisão de colmeias de abelhas Meliponas basta a colmeia mãe ceder os favos maduros para a colmeia filha.

Abelhas Mandaçaia – Discos Maduros – Divisão

Já as abelhas do grupo de gêneros Trigoniformes, as princesas virgens nascem a partir de células reais ou realeiras. Este detalhe é muito importante na divisão de colmeias de abelhas destes gêneros trigoniformes, pois para o sucesso da divisão é necessário no mínimo uma realeira nos discos doados pela colmeia mãe. Assim esta princesa virgem que nascer desta célula real se tornará a rainha da colmeia.

Divisão de colmeias de Abelhas Nativas – Células reais de Abelha Jataí – Discos Verdes

Os discos de cria maduros devem ser apoiados em bolotas de cerume para não ficarem em contato direto com o fundo da caixa. Assim as abelhas podem fazer a manutenção e limpeza nos discos de cria.

Divisão de colmeias de Abelhas Nativas -Método da Doação de Favos

É aconselhável fornecer cera alveolada ou cera da própria caixa mãe para a caixa filha. Assim as abelhas operárias aceleram o processo de proteção dos discos de cria e de produção de potes de alimentos. O orifício de entrada da caixa também pode ser diminuído com a utilização de cera. Assim as abelhas moldam o tamanho da entrada que lhes agrada e ajuda na proteção da colmeia.

Depois destes procedimentos a colmeia filha deve ser colocada no lugar da colmeia mãe. Assim, ela receberá as abelhas campeiras que colaborarão na defesa e organização da nova caixa. A caixa filha deve ter todas as frestas vedadas com fita crepe para evitar ataques de forídeos entre outros predadores.

A colmeia mãe deve ser transportada e instalada em um lugar distante, a no mínimo 10 metros, evitando que o cheiro da rainha ali presente atraia as campeiras de volta para a caixa mãe. É possível confinar a caixa mãe por três dias sem nenhum problema, assim garante que as abelhas campeiras não irão voltar para ela.

Divisão de colmeias de Abelhas Nativas – Distância entre colmeia Mãe e colmeia Filha

Três dias após a divisão de colmeias de abelhas nativas é possível oferecer alimentação artificial para a colmeia filha.

Depois de 30 a 40 dias é possível observar se a rainha se desenvolveu. Esta observação deve ser feita nas revisões periódicas.

Método da doação de favos 2 para 1 – Divisão de Colmeias de Abelhas Nativas

Opcionalmente, é possível utilizar uma terceira colmeia como doadora de campeiras. Nesse caso, a colmeia mãe permanece em seu lugar original. E a colmeia filha que recebeu os discos de cria da colmeia mãe é colocada no lugar desta terceira caixa. Assim a terceira caixa que deve ser colocada a uma distância de 10 metros da caixa filha.

Este método visa diminuir os impactos causados pelas divisões de colmeias visto que a colmeia mão cede apenas os discos de cria e a terceira colmeia cede apenas suas campeiras.

Etapas da divisão de colmeias de abelhas nativas com o método de doação de favos

Método de perturbação mínima – Divisão de Colmeias de Abelhas Nativas

Trata-se de um método que depende da utilização de um modelo de caixa específico, no caso a “Fernando Oliveira” ou  Caixas INPA.

Uma das grandes qualidades deste modelo de caixa é justamente possibilitar a divisão de enxames através do método de “perturbação mínima”, idealizado pelo criador da caixa.

Neste método é obtido duas colmeias através da divisão de uma colmeia sem a necessidade de manusear os diascos de cira com as mãos. A vantagem deste método é a acelerada recuperação das duas colmeias e a menor incidência de ataques de pragas após a divisão.

Na imagem abaixo podemos observar o procedimento de divisão. A caixa central é a colmeia mãe que é dividida entre duas colmeias . Cada uma das novas colmeias recebe uma módulo com discos de cria e um módulo com alimentação.

Divisão de colmeias – Distribuição dos elementos durante a divisão de uma colmeia com duas melgueiras cheias

No momento da divisão o meliponicultor deve observar os elementos internos da colmeia . Verificando em quais módulos ficaram os diferentes favos: verdes (postura) ou maduros (nascente).

De forma semelhante ao método de doação de favos, a colmeia que ficar com a maior parte dos favos de cria madura deve ser transportada a uma distância mínima de 10 metros. E a outra colmeia deve ser colocada no lugar da colmeia mãe.

Essa condição é diagnosticada no momento da separação de módulos, com base nos favos observados no fundo da colmeia dividida. Caso o módulo inferior (fundo) apresente favos de cria verde, constata-se, que os favos maduros ficaram em cima, ou seja, no módulo de divisão (ou sobre ninho).

Para as espécies dos gêneros Trigoniformes, esse método é um pouco mais complexo. Uma vez que na velocidade da separação dos módulos é difícil visualizar as células reais. Assim para o sucesso da divisão por este método, deve se garantir que uma das colmeias tenha a rainha e a outra colmeia tenha as células reais.

É muito difícil prever se esta situação irá mesmo ocorrer, portanto este método não é recomendado para abelhas dos gêneros trigoniformes.

Autor: Rafael - Criar Abelhas

Criador de Abelhas amante da Natureza. Trabalho desenvolvido para compartilhar o conhecimento em criação de abelhas e ajudar a preservar o ecossistema. Ver todos posts por Rafael - Criar Abelhas

16 comentários em “Divisão de Colmeias de Abelhas Nativas”

  1. ola gostei muito do site e do trabalho de todos e o PRINCIPAL DIVIDIREM (DISSEMINAREM) AS INFORMAÇÕES (conhecimento) com todos os amantes da ABSF…

    PARABÉNS E MUITO OBRIGADO…

    janair

  2. Com quanto tempo após uma divisão, pode ser feita outra divisão ?

    1. Olá Wellington,
      Isso depende muito da força da sua colônia, tem colônias que em 3 meses estão prontas para uma nova divisão, tem outras que só voltam ao ponto de divisão no próximo ano.

  3. Olá caros amigos, me tirem uma dúvida: ao realizar a divisão, a caixa filha fica no lugar onde estava a caixa mãe para capturar campeiras, a minha dúvida é a seguinte: a caixa mãe não irá ficar totalmente sem campeiras devido as abelhas sempre voltarem para o local onde estavam e neste caso entrarão todas para a caixa filha? Devo fechar a entrada da caixa mãe durante alguns dias para as campeiras que estiverem dentro da caixa mãe esqueçam do local onde estavam e permaneçam algumas na caixa mãe? Muito obrigado pela atenção!

    1. Olá Fabiano, Sim, as campeiras na sua grande maioria irão para a caixa filha. O procedimento que eu adoto é, depois da divisão, fechar a caixa mãe por pelo menos 3 dias, e depois colocá-la no novo local. Algumas campeiras ficam na caixa mãe e logo as abelhas novas irão viraram campeiras, então não tem problema passar as campeiras para a caixa filha. Abraço!

  4. Sou iniciante e gostaria de saber mais sobre divisão com o método de perturbação minima.
    Tenho uma jatai em uma caixa do modelo AF. O modelo se assemelha com o Inpa e na teoria não seria recomendado para esse tipo de divisão.
    Se eu fazer uma pré analise para verificar em qual modulo esta a célula real, seria possível fazer a divisão usando esse método?
    Depois dessa pré analise, teria que esperar quantos dias para fazer a divisão, ou posso fazer no mesmo dia?

    1. Olá Joel, nesta espécie de abelha, abelhas Jataí, não é recomendado fazer divisão… A chance de êxito é baixa e a captura desta espécie é muito simples….. Priorize capturar abelhas com as iscas. Abraço.

    1. Olá Jean, geralmente uma colmeia esta no ponto de divisão quando a caixa estiver toda preenchida com ninho e potes de alimento. E para efetuar a divisão é recomendado esperar que os discos que estão quase encostando na tampa, fiquem maduros. Abraço!

  5. Senhores boa noite;

    Primeiramente gostaria de parabenizar pelo site e pela forma fácil de entendimento que abordam os assuntos.
    A minha dúvida é a seguinte; Após a divisão da colméia, devo manter a colmeia mãe afastada da colméia filha por quanto tempo? Tenho um meliponario em casa e tive que levar a colmeia mãe para outra casa e gostaria de saber quando posso a trazer de volta. Obrigado.

  6. Olá Rafael
    Primeiramente, parabéns pelo seu trabalho.
    Como faço para identificar quais discos de cria estão maduros e quais verdes ? Qure cor tem ?.
    Grato.

    1. Olá Tadeu, Muito obrigado, espero que tenha lhe ajudado!
      A questão dos discos é bem simples de identificar. Os discos verdes, possuem uma coloração mais escura por conta da cera que fica protegendo os discos. Enquanto que os discos maduros possuem uma coloração clara.
      Você pode observar a diferença da coloração nas fotos logo acima neste artigo. Abraço!

  7. Bom dia. Sua explicações são fáceis de serem compreendidas e certamente ira contribuir muito para quem esta iniciando a criação destes insetos maravilhosos. Uma sugestão e explicar quais espécies devem ser feitas de uma maneira e quais de outra.

    Abraços.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.