Meliponários

Meliponários, Coletivos e Individuais. Entenda o significado e as diferenças dos modelos utilizados para a criação de abelhas nativas. Saiba as condições necessárias para a instalação dos Meliponários.

Meliponários são chamados os locais onde são instaladas as colmeias de meliponíneos. É diferente de apiário, onde são instaladas as caixas das abelhas Apis Mellifera. Não existe um padrão para definir um bom meliponário. Assim as condições específicas de cada localidade e a criatividade do meliponicultor definem a busca pelos seus principais objetivos: dar conforto para as abelhas e facilitar o manejo do meliponicultor.

Um aspecto importante a ser considerado é que as colmeias de abelhas nativas devem estar sempre em locais sombreados. Podem tomar um pouco de sol pela manhã, mas deve-se evitar incidência direta de sol a partir das 9h. A seguir serão apresentados exemplos de meliponários de duas categorias: meliponários coletivos e meliponários com suportes individuais.

Meliponários coletivos

Meliponário Coletivo Clássico
Meliponário Coletivo Clássico

As imagens acima ilustram o mais clássico modelo de meliponário da meliponicultura brasileira: as caixas são instaladas nos alpendres ou varandas das casas, bem próximas aos meliponicultores, o que facilita o acesso para o manejo e o cuidado contra furtos.

As desvantagens desse modelo são a proximidade com as luzes da casa. Muitas vezes enganam as abelhas atraindo-as no meio da madrugada e a dificuldade de acesso às caixas, já que ficam no alto e precisam ser removidas para o manejo.

Já as imagens abaixo demonstram meliponários típicos do sertão nordestino, especialmente do estado do Rio Grande do Norte. Os quais costumam abrigar a abelha jandaíra (Melipona subnitida).

Meliponário Coletivo Típico Nordestino
Meliponário Coletivo Típico Nordestino

Existem ainda meliponários mais elaborados, como o ilustrado abaixo. O qual dá suporte para pesquisas associadas ao Projeto Abelhas Nativas, no estado do Maranhão. Assim este tipo de meliponário traz uma facilidade no manejo dos enxames. Visto que o meliponicultor tem acesso a todas as caixas sem bloquear a frente das caixas com o corpo. Assim não interfere na entrada e saída das abelhas durante o monitoramento das caixas.

Meliponário Coletivo
Meliponário Coletivo

Meliponários com suportes individuais

Como ilustrado nas figuras abaixo, nesse tipo de meliponário as colmeias são instaladas em suportes individuais. Assim as caixas são protegidas da chuva com coberturas independentes, que não exigem a construção de estruturas complexas.

Uma boa alternativa de cobertura é um simples pedaço de telha de fibrocimento (amianto não!). De tamanho suficiente para proteger a caixa da chuva e auxiliar no sombreamento.

Aconselha-se que meliponários deste tipo sejam instalados em terrenos limpos e sombreados. Mas livres da cobertura de árvores com frutos grandes que possam danificar as telhas e colmeias.

Este tipo de meliponário facilita muito o trabalho do meliponicultor, uma vez que as caixas não precisam ser movidas durante as atividades de manejo. É importante que os suportes tenham uma altura que proporcione conforto ao trabalho, variando de 80 cm a 1 m, conforme a altura do meliponicultor.

Meliponário Individual
Meliponário Individual
A distância entre os suportes pode variar de 80 cm a 2 m, dependendo do tipo de abelhas. O ordenamento dos suportes deve ser definido de acordo com as espécies disponíveis, com base na experiência de cada meliponicultor.
Espécies populosas e agressivas exigem distâncias maiores. Portanto abelhas dóceis e menos populosas podem ficar mais próximas. Aconselha-se que o criador iniciante busque informações sobre o comportamento de suas abelhas com meliponicultores experientes ou nos locais onde adquiriu suas colônias.

Instalação de Meliponários

Para que um meliponário tenha sucesso no fortalecimento das colônias, algumas condições fundamentais devem serem consideradas no momento em que o meliponicultor está escolhendo o local de sua instalação.

Flora:

O primeiro fator a ser considerado é a ocorrência de florada, ou seja, plantas que forneçam pólen e néctar às abelhas durante a maior parte do ano. Assim vale lembrar que cada espécie de abelhas sem ferrão possui um raio de ação, que é a distância que as abelhas operárias percorrem até a fonte de alimento (flores). Este fator é muito importante na escolha do local do meliponário. Para exemplificar podemos citar o raio de ação de algumas espécies como, Jataí 1km, Mandaçaia 2,5km, Irapuá 850m e Mirins 550m.

Água:

Tão importante quanto a flora, a água é um elemento fundamental para o desenvolvimento de uma colônia de abelhas sem ferrão. Portanto é recomendado que o meliponário tenha uma fonte de água a no máximo 100 metros de distância. De preferencia uma água corrente e de boa qualidade. Assim caso não seja possível ter essa fonte natural de água próxima, é possível a instalação de bebedouros artificiais, que sejam periodicamente renovados para impedir a proliferação de organismos indesejáveis na água.

Vento:

É muito importante evitar locais com forte incidência de ventos fortes. Os ventos dificultam o voo das abelhas fazendo com que elas gastem mais energia para se locomover até a fonte de alimento. Outro problema é o resfriamento das caixas, assim as abelhas também gastam mais energia para manter a temperatura de sua colméia.

Sombreamento:

O ideal é colocar as caixas em local sombreado para evitar que o sol aqueça excessivamente a colmeia. As caixas devem ser protegidas por alguma cobertura, normalmente uma telha. É interessante que fique um vão entre a telha e a tampa da caixa para que a temperatura da telha não seja transmitida para a caixa.

Acesso:

O meliponário deve ter fácil acesso para facilitar o meliponicultor na hora do manejo das colméias.

Cerca:

Proteger o meliponário com uma cerca é muito importante para a segurança das abelhas. Uma cerca viva com por exemplo, Ora pro Nobis, além de proteger o meliponário de invasão de animais grandes e do vento, vai fornecer flora para o meliponário.

2 Comentários


  1. Moro na Paraíba e gostaria de saber se você tem uma relação de plantas que poderiam ser colocadas próximo ao Meliponario? Se positivo, existe algum profissional que trabalhe com vendas de sementes?

    Responder

    1. Olá Wagner, Existe uma infinidade de plantas melíferas, vai depender muito do espaço que você dispõe para elas e das plantas que se adaptam bem a sua região. Posso lhe citar duas plantas que são muito bem aceitas pelas abelhas, Ora pro nobis e Astrapéia. Mas existem muitas outras!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.