Abelhas Manduri

Abelhas Manduri – Melipona Asilvai, Melipona Favosa Orbignyi, Melipona Marginata e Melipona Torrida. Pequenas Abelhas Meliponas, Excelentes produtoras de mel.

Abelhas Manduri – São conhecidas por serem uma das menores abelhas do gênero Melipona. E também por serem um pouco agressivas e produzirem um mel muito saboroso.

Abelhas Manduri Preta - Melipona Marginata
Abelhas Manduri Preta – Melipona Marginata

Nome Popular: Manduri.


Nome Científico: Melipona Asilvai,  Melipona Favosa Orbignyi, Melipona Marginata e Melipona Torrida.


População: 300 abelhas.


Alcance de voo: 1 km.


Tamanho de Caixa INPA: Ninho e sobre ninho 16x16x7. Melgueira 16x16x5.


Distância entre colônias: 20 cm de distância.


Produção de mel: 1,5 litros por ano.


Existem quatro espécies de abelhas sem ferrão no Brasil que são conhecidas por Abelhas Manduri. Melipona Asilvai,  Melipona Favosa Orbignyi, Melipona Marginata e Melipona Torrida. A Melipona Marginata possui duas subespécies de abelhas. Melipona Marginata Marginata, Melipona Marginata Carioca.

Em 2013, houve uma revisão na nomenclatura dada a Melipona Marginata Obscurior. Segundo Melo, 2013 a Melipona Marginata Obscurior seria um sinônimo júnior de Melipona Torrida. Portanto a partir de 2013 o nome correto da espécie é Melipona Torrida.

Dentre as diversas espécies das abelhas do gênero Melipona, a Manduri é considerada como uma das mais sensíveis aos processos de degradação e descontinuação dos habitats. Isso se deve a diversos fatores e sua limitada área de ação de voo que é de aproximadamente 800 metros.

O que traz desvantagens contra espécies maiores como a Mandaçaia que tem raio de ação de 2 quilômetros. Assim ela tem mais dificuldades em acessar os recursos alimentares e de nidificação. Portanto estão registradas entre as espécies em risco de extinção.

Onde encontrar Abelhas Manduri

As abelhas Manduri estão distribuídas por toda a costa leste do Brasil. A Melipona Asilvai habita naturalmente regiões da caatinga brasileira. Já a Melipona Favosa Orbignyi, Melipona Marginata e Melipona Torrida são predominantemente encontradas na Mata Atlântica.

Abelhas Manduri - Entrada Melipona Marginata, Torrida, Asilvai
Abelhas Manduri – Entrada Melipona Marginata, Torrida, Asilvai

Melipona Asilvai – Manduri Rajada : Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe.

Abelhas Manduri - Melipona Asilvai
Abelhas Manduri – Melipona Asilvai

Melipona Torrida – Manduri Preta: Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo.

Abelhas Manduri - Melipona Torrida
Abelhas Manduri – Melipona Torrida

Melipona Marginata Marginata – Manduri Preta e Manduri Amarela: Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo.

Abelhas Manduri - Melipona Marginata Marginata
Abelhas Manduri – Melipona Marginata Marginata

Melipona Marginata Carioca – Manduri Preta e Manduri Amarela: Bahia, Espirito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo.

Abelhas Manduri - Melipona Marginata Carioca
Abelhas Manduri – Melipona Marginata Carioca

Manduri do Mato Grosso – Melipona Favosa Orbignyi: Mato Grosso

Abelhas Manduri - Melipona Favosa Orbignyi
Abelhas Manduri – Melipona Favosa Orbignyi

Abelhas Manduri – Morfologia

As abelhas Manduri possuem um comprimento de 6mm, podendo chegar até 7mm. A largura do tórax tem de 2 a 2,2mm e a cabeça tem 2,8mm.

Melipona Asilvai possui uma coloração castanha escura com pelos mais claros. A Melipona Torrida é uma abelha preta com as listras do abdome bem finas, por vezes não perceptíveis.

A Melipona Marginata Marginata e M. Marginata Carioca possuem duas colorações diferente. Manduri preta, com as listras do abdome mais marcadas que a Obscurior. E a Manduri Amarela que possui abdome claro, variando do alaranjada até o amarelo.

A Melipona Favosa Orbignyi possui pelos bem alaranjados e riscos amarelos  mais grossos em seu tórax.

Ninho

Os ninhos das Abelhas Manduri são considerados de difícil localização por possuírem uma entrada muito pequena. Esta entrada passa apenas uma abelha e em alguns casos apresenta umas estrias feitas de barro. Assim a entrada é um pouco parecida com a entrada de Mandaçaia e Uruçu. Geralmente nidificam em alturas superiores a 4 metros.

Os ninho de abelhas manduri possuem as mesmas caracteristicas basicas das abelhas Meliponas. Discos de crias sobrepostos protegidos por invólucro de cera e resinas. Com os potes de alimentos em sua volta. As paredes internas do ninho são revestidas com geoprópolis.

Os discos de cria podem chagar a medir 12cm de diâmetro. Assim um enxame forte possui discos de cria de 7 a 12cm de diâmetro. A população média de Abelhas Manduri fica em torno de 1 mil abelhas.

Organização

Assim como todos os apídeos, as abelhas Manduri possuem uma sociedade organizada dividida em: operárias, zangões e rainha. O período completo de uma Melipona é de aproximadamente 38 dias, sendo 5 dias de desenvolvimento embrionário(ovo), 15 dias de estágio larval e 18 dias de estágio pupa. Assim após este período uma abelha vive entre 40 e 52 dias.

Operárias

As abelhas Manduri operárias desempenham diversas funções no enxame de acordo com a sua idade. Primeiramente as abelhas mais novas que apresentam uma coloração mais clara ficam na região dos discos aquecendo as crias. Um pouco mais velhas elas começam a trabalhar na construção de células e na colocação de alimento larval. Com um pouco mais de tempo passam a trabalhar na construção de invólucro e potes de alimento. Quando chegam a fase adulta as operárias irão forragear, que significa, coletar néctar, pólen e água para a colônia.

Uma característica de abelhas Manduri é de que as operárias tem seus ovários desenvolvidos, o que significa que também podem fazer postura. Essa postura pode ocorrer antes ou depois da postura da rainha. Ovos de operárias postos antes da postura da rainha são comidos pela rainha. Ovos de operárias postos após a postura da rainha darão origem a Zangões. Isso acontece porque a larva de zangões se desenvolve mais rápido e se alimenta do ovo posto pela rainha.

Zangões

Os machos de abelhas Manduri realizam algumas tarefas dentro da colônia como por exemplo a desidratação do néctar e aquecimento do enxame. Sua principal função é a fecundação da rainha virgem durante o voo nupcial.

Rainha

Como as abelhas Manduri são do gênero Melipona, de cada 100 abelhas que nascem, de 12 a 30 são princesas virgens. Assim o enxame escolhe uma para se tornar a rainha e esta faz o voo nupcial para ser fecundada por um zangão. As demais princesas de abelhas Manduri são eliminadas da colônia.

O enxame também decide o momento de fazer a troca da rainha por ela estar velha e fazendo pouca postura.

Comunicação e Forrageamento

As abelhas forrageadoras entram no ninho e transmitem o cheiro e a qualidade do alimento durante a trophallaxis. Elas andam rapidamente por dentro do ninho encostando em outras operárias assim estimulando a elas saírem do ninho. A passagem do alimento é acompanhada de sons altos que sinalizam alimento encontrado. Assim a qualidade do alimento encontrado é informada com o aumento de duração dos pulsos sonoros.

O caminho até o alimento é marcado com trilhas de cheiro. Assim as abelhas que saem do enxame para buscar o alimento, se guiam pelo cheiro deixado no ar pelas abelhas que encontraram a fonte de alimento.

Abelhas Manduri como capturar

A captura de abelhas Manduri é feita com iscas pet. Estas iscas pet são lambuzadas com atrativo para abelhas sem ferrão. Assim atraindo uma enxameação para esta isca. Geralmente são utilizadas garrafas pet 2 litros para a confecção das iscas.

Abelhas Manduri Como Criar

As Abelhas Manduri possuem duas características facilmente observada em sua criação. A primeira é de que são abelhas bastante defensivas para abelhas do gênero Melipona. Quando o enxame esta muito populoso e o meliponicultor vai fazer uma divisão ou coleta de mel. É interessante proteger a região do rosto e ouvidos, pois a abelha Manduri incomoda um pouco. A segunda característica se diz respeito ao seu manejo. Essas abelhas não gostam muito de manipulações, assim se protegem com seu geoprópolis. Muitas vezes fecham um módulo inteiro de geoprópolis para se proteger da manipulação do meliponicultor.

A criação de abelhas Manduri segue os mesmos passos das abelhas do gênero Melipona. Revisões periódicas a cada 15 dias são essenciais para saber como anda o desenvolvimento do enxame. Alimentação artificial sempre quando o período é de escassez de alimento na natureza. Oferecendo 50ml de xarope a cada 3 dias.

Uma grande vantagem das Abelhas Manduri é sua facilidade no combate a forídeos. Elas dificilmente tem problemas com forídeos, assim geralmente não é necessário a utilização de iscas para forídeos dentro da caixa.

Um enxame forte chega a produzir 1,5 litros de mel por ano. Uma quantidade muito satisfatória perante o tamanho e a quantidade de abelhas desta espécie.

Abelhas Manduri Caixa

As Abelhas Manduri se desenvolvem muito bem em caixas INPA. Com medidas internas de 16cm x 16cm x 7cm de ninho e sobre ninho. E com melgueiras de 16cm x 16cm x 5cm. É possivel colocar até duas melgueiras, pois elas tem uma boa produção de mel.

Como dividir enxames de Abelhas Manduri

Primeiramente é muito importante observar as condições climáticas. A multiplicação somente deve ser feita em dias ensolarados e com temperatura acima de 20 graus Celsius.

Com as condições climáticas favoráveis e se tratando de abelhas do gênero Melipona, a multiplicação de abelhas Manduri é bastante simples. Primeiramente deve-se observar se o enxame a ser multiplicado, possui discos maduros. Assim deve-se retirar 2 discos de cria maduros do enxame e coloca-los na nova caixa apoiados por bolinhas de cera. Essas bolinhas de cera são de suma importância para que os discos não fiquem em contato direto com a madeira.

É muito importante fornecer cera no momento da multiplicação para acelerar a construção do invólucro de proteção nos discos de cria. Caso seja possível retirar potes de alimentos da caixa mãe sem danifica-los, eles podem ser colocados na nova caixa. Assim depois que a estrutura estiver pronta a caixa nova deve ser colocada no local do enxame mãe para capturar as campeiras que estão coletando alimento.

Após 3 dias da divisão, já é possível alimentar o enxame com alimentação artificial.

Dos discos de cria nascerão algumas princesas virgens e o enxame vai escolher uma para ser a rainha. Dentro de alguns dias, geralmente entre 15 e 30 dias será possível observar postura da nova rainha. É importante observar que se passados 30, 35 até 40 dias e o enxame não tiver postura, ou seja, não tiver uma rainha, deve-se introduzir mais um ou dois discos de cria maduros.

Abelhas Manduri Venda

Os enxames de abelhas Manduri são vendidos em torno de R$ 220,00 enxames matriz e R$ 180,00 divisões.

Abelhas Manduri Mel

O mel produzido é muito saboroso e rico em propriedades medicinais. As Abelhas Manduri possuem uma ótima produção de mel visto o tamanho das abelhas e quantidade de campeiras. Assim chegam a produzir 1,5 litros de mel por temporada.

5 Comentários


  1. Excelente material,sou iniciante tirou varias duvidas a respeito,importante ter esse tipo de informação parabéns pela iniciativa.

    Responder

    1. Olá Michel,
      Vai depender muito da recuperação da colônia. Depende também do clima da sua região, na região Sul a janela para divisões é mais restrita. Mas você consegue fazer duas divisões por ano pelo menos em uma boa matriz de abelhas Manduri.
      Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.